Após um ano, Najila Trindade é absolvida no ‘Caso Neymar’

A modelo foi denunciada pelo Ministério Público acusada de ter atrapalhado as investigações
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Após um ano, Najila Trindade é absolvida no 'Caso Neymar'

Após um ano de virar notícia no mundo acusando Neymar de estupro, Najila Trindade foi absolvida do crime de fraude processual. Após o arquivamento do processo, o Ministério Público denunciou a modelo. O órgão então acusou Najila de ter atrapalhado as investigações da polícia. Além disso, a acusação disse que ela teria dificultado o acesso a possíveis provas e forjando um suposto arrombamento no apartamento onde morava em São Paulo.

Dessa forma, Najila Trindade afirmou, durante as investigações da acusação de estupro contra Neymar, que arrombaram seu apartamento. Aliás, na ação ela disse que levaram um tablet com imagens que auxiliariam a polícia nas investigações.

O ex-marido da modelo, Estivens Alves, chegou a fazer imagens do local após a suposta invasão. A promotoria então denunciou Estivens pelo mesmo crime.

A Justiça aceitou a denúncia contra os dois em setembro de 2019. Mas agora absolveu a modelo junto com o ex-marido.

Após um ano, Najila Trindade é absolvida no 'Caso Neymar'

De acordo com o UOL, a juíza Ana Lucia Fernandes Queiroga entendeu que não houve crime nas ações dos dois na época. O ex-marido de Najila, afirmou na época, que esteve no apartamento da modelo para buscar pertences do filho do casal.

“Não seria razoável supor que o acusado, com intuito de adulterar o local de um delito, filmasse o próprio crime que cometia. O que indica que de fato foi ao local apenas para pegar pertences da acusada Najila, que naquele momento não poderia permanecer em sua residência”, diz um trecho da sentença.

V eja Também: Após acusações de pedofilia, PC Siqueira retorna as redes sociais para falar de suicídio

A juíza ainda entendeu que em nenhum momento Najila apagou imagens ou mudou senhas de um segundo tablet para atrapalhar as investigações policiais. Esse segundo aparelho seria do filho pequeno da modelo.

Denunciação caluniosa

Najila também chegou a ser acusada antes por denunciação caluniosa. Isso por ter acusado o camisa 10 da seleção e do Paris Saint-Germain por estupro e agressão. Mas arquivou-se esse inquérito policial sobre o crime sexual contra Neymar.

A acusação de denunciação caluniosa contra Najila também não foi aceita pela Justiça, que entendeu ainda que a modelo não cometeu extorsão, quando seu ex-advogado José Edgar se encontrou com os representantes de Neymar para conversar sobre o caso do suposto estupro e informar que poderia entrar com um processo.

Segundo a Justiça, recorrer ao poder judiciário era um direito da modelo.

Entenda o caso

Najila Trindade registrou boletim de ocorrência acusando Neymar de estupro. Isso ocorreu no final de maio de 2019 após encontro amoroso em Paris (França). Com a repercussão do caso, a modelo deixou a casa onde vivia em São Paulo. As investigações se arrastaram até agosto de 2019, quando a polícia civil de São Paulo decidiu arquivar a acusação. De acordo com a investigação, depoimentos e provas apresentados pela modelo apresentavam “incongruências”.

Dias depois, a polícia anunciou que indiciaria Najila por fraude processual, denunciação caluniosa e extorsão. Em setembro, o Ministério Público denunciou Najila por fraude processual e denunciação caluniosa. A Justiça, no entanto, aceitou apenas a denúncia de fraude processual.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente