Esposa de Alok devolve auxílio emergencial para o governo

Romana e Alok
Romana e Alok

A esposa de Alok, Romana Novais, devolveu duas parcelas do auxílio emergencial para o governo na madrugada deste domingo, 14. Tudo começou quando a médica pegou o celular de seu irmão, Higor Novais, e postou uma imagem nos seus stories. Na imagem foi possível ver que Higor tinha o aplicativo do auxílio emergencial do governo instalado em seu celular.

Muitas pessoas questionaram o casal sobre o irmão de Romana ter solicitado o auxílio destinado para pessoas de baixa renda durante a pandemia do novo coronavírus. Alok e Romana resolveram se manifestarem e disseram que não sabiam que Higor estaria passando por necessidades.

“Isso repercutiu bem mal. Com toda essa repercussão, a gente foi perguntar para o irmão dela o que estava acontecendo, porque a Romana postou na inocência, ela nem sabia o que era, e para a nossa indignação e surpresa, é verdade. Ele usou o auxílio emergencial mesmo”, falou Alok.

Higor Novais - Irmão de Romana
Higor Novais – Irmão de Romana

Eles revelaram que sustentam suas famílias “A gente ficou muito surpreso porque ele não avisou a gente. A gente faz de tudo para ajudar nossas famílias sempre, eu sustento a minha família e a Romana também.”

Segundo Alok, Higor não quis pedir ajuda para a família “Ele é Dj, está passando dificuldade, não está tendo evento, o show business fechou e ele não queria pedir nada pra irmã, nem pra mim e nem pra ninguém. Ele quer se virar

Por fim, o casal resolveu a situação e devolveu o dinheiro para o governo “Pegou muito mal, mas já cortou tudo, pedi pra devolver o dinheiro. A gente não controla as pessoas, infelizmente aconteceu mas a partir de agora não acontece mais. Eu tento salvar o mundo mas as vezes a gente não consegue”

Devolução do auxílio emergencial

A esposa de Alok devolveu o valor do auxílio emergencial para o governo através de uma plataforma criada para pessoas que não se enquadram nas exigências e mesmo assim receberam os valores. O site para aqueles que queiram devolver o dinheiro está no ar desde o dia 18 de maio, quando foi identificado que 73 mil militares haviam sido beneficiados com o valor de R$ 600.

Até sexta-feira, 12, o governo havia recuperado ao menos R$ 29,65 milhões do auxílio emergencial. Total reúne 39.517 brasileiros que receberam o benefício mas não se enquadravam nos critérios da lei. Mais da metade são militares.

Veja Também: Rita Cadilac pede auxilio do governo e é aprovada “Dinheiro não entra, só sai”

Conforme o Ministério da Cidadania, responsável pelo portal, ao entrar na plataforma, o beneficiário precisará preencher algumas informações, entre elas, informar o CPF que irá fazer a devolução, selecionar a opção de pagamento da Guia de Recolhimento da União (GRU), escolher qual banco será feito o recolhimento do valor e só assim emitir a guia de pagamento.

De acordo com o governo, com o documento para devolução do benefício, é possível efetuar em qualquer banco, via internet, terminais de autoatendimento e guichês de caixas das agências bancárias.

Clique aqui para acessar a plataforma de devolução do auxílio

Quem pode receber o benefício?

Para receber o auxílio emergencial, é necessário atender aos requisitos abaixo:

  • seja maior de 18 anos de idade;
  • não tenha emprego formal ativo;
  • não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial ou beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal – à exceção do Bolsa Família;
  • cuja renda familiar mensal per capita seja de até 1/2 (meio) salário-mínimo ou a renda familiar mensal total seja de até 3 (três) salários mínimos;
  • que, no ano de 2018, não tenha recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 (vinte e oito mil, quinhentos e cinquenta e nove reais e setenta centavos);
  • que exerça atividade na condição de: microempreendedor individual (MEI); contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social; trabalhador informal, seja empregado, autônomo ou desempregado, de qualquer natureza, inclusive o intermitente inativo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) até 20 de março de 2020.

Onde denunciar possíveis irregularidades?

As denúncias de supostas irregularidades no pagamento do auxílio emergencial pode ser feita através de contato telefônico ou de preenchimento de formulário na internet.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, o cidadão pode realizar a denúncia pelo fone 121 do Ministério da Cidadania. Na internet, a plataforma fala.br possibilita o encaminhamento das denúncias sobre o auxílio emergencial e qualquer outro benefício do Governo Federal.

Na plataforma digital, o cidadão precisa criar um login e senha. Se a denúncia for anônima é possível continuar sem se identificar. Em seguida, é necessário selecionar o órgão que receberá a reclamação. Sobre o auxílio emergencial, as denúncias devem ser enviadas para o Ministério da Cidadania. Depois escolha o assunto que será abordado. Neste caso, marque auxílio.

No campo Fale aqui, o denunciante precisa escrever a sua reclamação da forma mais clara possível. Também é possível incluir anexos na sua solicitação. Neste caso, é só clicar em Incluir anexos e selecionar os arquivos.

Segundo o governo, mesmo não sendo obrigatório, outro campo que precisa ser preenchido é o do local onde ocorre a irregularidade. Assim, ficará mais fácil para investigar as supostas fraudes apontadas na denúncia. Após o preenchimento do formulário, o cidadão deve verificar se todas as informações estão corretas e clicar no botão “enviar”.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente