Juliette se posiciona contra governo Bolsonaro

Juliette se posiciona contra governo Bolsonaro
Juliette

Juliette Freire usou seu Twitter nesta segunda-feira (21) para se posicionar contra o governo de Jair Bolsonaro. Assim, a vencedora do BBB 21 escreveu “500 mil mortos no Brasil! Não são apenas números. É uma terrível consequência da negligência da gestão do atual governo Bolsonaro. Eles tinham como ter evitado essa tragédia. É claro que é #ForaBolsonaro.”.

Aliás, a paraibana estava sendo criticada pela falta de posicionamento. Juliette acumula mais de 31 milhões de seguidores no Instagram. Desde que participou do reality global, a vencedora tem se tornado uma das maiores influenciadoras do Brasil.

Veja Também: Cantora mirim, Sophia Eldo, grava clipe com inspiração em Juliette

Juliette se posiciona contra governo Bolsonaro

Samantha

Samantha Schmutz é uma das artistas que mais cobra posicionamento dos colegas. “Falamos com tantas pessoas na internet e não estamos tratando assuntos sérios. Não é para as pessoas pararem de fazer publicidade ou dancinhas. Não é isso. Mas é cruel fazer neste momento. Mais uma vez, não estou apontando o dedo para alguém. Todos nós temos que nos questionar: Será que é legal só mostrar a vida maravilhosa?” disse a atriz em entrevista ao Jornal O Globo.

O perfil mais combativo da atriz ganhou ainda mais força após a morte do colega Paulo Gustavo, vítima de complicações da Covid-19. Na entrevista ao jornal carioca, a atriz então falou sobre o momento difícil de superar a perda e questionou o fato de a morte do humorista não estar sendo suficiente para despertar o posicionamento de alguns artistas, em especial em defesa da vacina e da saúde pública.

“Vamos chamar as pessoas para a realidade. Paulo levou a metade da alegria do Brasil. Ele era próximo de todo mundo. Se essa pessoa que era parente do país inteiro não nos comoveu a ponto de realmente nos levantar, o que vai? Choro todos os dias desde que meu amigo partiu. É difícil. Todo lugar em que vou eu me lembro dele. São muitas recordações.

Mortes

Ao propósito, no dia 19 de junho o Brasil atingiu hoje a marca de 500 mil mortes por covid-19. Assim, o país ultrapassou os 500 mil mortos apenas 50 dias depois de chegar à marca de 400 mil e cerca de 15 meses após a confirmação da primeira morte pela doença.

Foram 2.073 óbitos em média nos últimos sete dias, o que indica uma aceleração de 27% na comparação com 14 dias atrás. O índice está acima de 1.000 há 150 dias. Durante a chamada primeira onda, o maior tempo que a média móvel ficou acima de mil foi 31 dias.

O Brasil demorou 144 dias para chegar aos 100 mil mortos, depois 152 até as 200 mil vítimas, em 7 de janeiro deste ano. Após isso, o intervalo foi diminuindo. Foram 76 dias até as 300 mil mortes e apenas 36 para contabilizar mais 100 mil e atingir os 400 mil óbitos.

O Brasil teve mais de 1.000 mortes, em média, desde o dia 12 de março de 2020, quando foi registrada a primeira morte por covid no país. O pico de mortes por covid-19 em um único dia no Brasil é 4.249, registrado em 8 de abril. O recorde da média móvel foi em 12 de abril, com 3.125 mortes.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente