Mãe foi a grande inspiração na carreira de Paulo Gustavo

Mãe foi a grande inspiração na carreira de Paulo Gustavo
Mãe foi a grande inspiração na carreira de Paulo Gustavo. Foto: Divulgação

Um dos maiores ícones do humor do Brasil, a mãe foi a grande inspiração na carreira de Paulo Gustavo. Déa Lúcia, a matriarca da família do artista, se tornou tema de uma peça de teatro escrita pelo ator. Aliás, ele revelou cenas icônicas de sua casa nos palcos do teatro. As salas passaram a ficar cada vez mais cheias para ver Dona Hermínia, nome da personagem protagonista. Então, ela chegou aos cinemas e conquistou o país inteiro.

A produção que começou no teatro alçou Paulo ao topo de filmes nacionais mais vistos do Brasil em sua estreia. Lançado em 2013, o primeiro longa da trilogia arrecadou mais de R$49,5 milhões só de bilheteria. Por óbvio, a sequência veio e a história de Dona Hermínia ganhou novas cenas. O motivo de tanto sucesso? Dona Hermínia é inspirada em Dona Déa Lúcia, mas também em várias outras mães pelo país.

Em 2016, o sucesso se repetiu, mas as cifras subiram. Minha Mãe É uma Peça 2 arrecadou mais de R$124 milhões. Aliás, o filme só perdeu para uma produção da Disney e outra da Marvel: Capitão América e Batman vs. Superman, se compararmos com todas as produções. Apesar disso, a possibilidade de uma sequência do longa foi posta em xeque.

Ainda assim, Minha Mãe É uma Peça 3 virou realidade. E o sucesso continuou no topo dos filmes nacionais mais vistos em todo o país. Apenas O Rei Leão e Vingadores: Ultimato passaram o longa em termos de arrecadação. O filme arrecadou mais de R$180 milhões nas bilheterias. Além disso, também foi o único filme a ocupar o top 10 de arrecadação nos cinemas do Brasil.

Leia mais

Tatá Werneck fala de Paulo Gustavo: ‘Muito grave, mas está vivo’
Ingrid Guimarães se emociona ao falar de Paulo Gustavo
Quadro clínico de Paulo Gustavo piora significativamente

50 dias de tensão

Vítima da Covid-19, Paulo Gustavo chegou ao hospital com sintomas graves da doença no dia 13 de março de 2021. No dia 22, precisou ser entubado, mas seu estado continuou piorando. Então, no dia 2 de abril, ele começou uma terapia chamada ECMO. Em síntese, o aparelho faz às vezes do pulmão do paciente. Dessa forma, o órgão poderia se recuperar com maior eficácia.

Entre melhoras, estabilidades e momentos de risco, Paulo Gustavo surpreendeu a família no dia 2 de maio, cinquenta dias após a internação. Os médicos reduziram seus sedativos e ele acordou e se comunicou com a família. A expectativa, naquele momento, era de que o ator seguisse um caminho de recuperação constante. Inesperadamente, ele sofreu uma embolia gasosa, que é quando bolhas de ar entram na corrente sanguínea, impedindo o sangue de chegar a certas partes do corpo. No caso do artista, cérebro e medula espinhal foram afetados.

Logo em seguida, uma corrente de oração começou nas redes sociais. No entanto, o boletim médico emitido no dia 4 de maio afirmou que a situação de Paulo era irreversível. Ainda assim, ele continuou com sinais vitais presentes e a frase ‘enquanto há vida, há esperança’ se tornou uma frase para referir-se ao ator e mandar energias positivas a ele.

Contudo, na noite de terça-feira (4), chegou ao público a morte do ator de 42 anos, após 52 dias de tratamento.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente