Morre Antenor, o Gordinho do Surdo, aos 75 anos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Morre Antenor, o Gordinho do Surdo, aos 75 anos

Morreu neste sábado (23), aos 75 anos, Antenor Marques Filho, conhecido como Gordinho do Surdo. Assim, amigos próximos confirmam que ele faleceu em decorrência da Covid-19. Aliás, o músico foi um dos maiores ritmistas do Brasil e atualmente, tocava na banda de Thiaguinho.

Ainda não há informações sobre o velório e sepultamento mas devem ocorrer de forma restrita por conta da pandemia do novo coronavírus.

O cantor então lamentou a perda do colega “Que dor. Um pedaço de mim se vai. Mas tudo que vivemos desde os meus 19 anos vai ficar guardado aqui no meu coração… Tá doendo tanto, Seu Antenor. Eu nem sei explicar…A gente sentiu que esse era nosso último abraço, né… Só a gente sabe o que a gente sentiu quando se olhou nos olhos esse dia e nos agradecemos.”

Ao propósito, Thiaguinho agradeceu ao musico “Obrigado. Por tudo e por me escolher como filho. Eu te amo muito. E tudo o que eu podia fazer, falar, compor e cantar pro senhor, fiz em vida. E que vida a nossa… Todos os shows eram seus. Eu que cantava com o senhor. Tenho certeza que nesse momento o senhor já está em um ótimo lugar, mas aqui embaixo… Onde eu for, levarei o seu legado… Sua história.”

“Seu neguinho te ama e não sabe como será subir num palco sem sua luz, mas como o senhor sempre dizia… “o samba não pode parar…” Me sinto um dos caras mais privilegiados da história da música brasileira por ter tocado ao seu lado por 18 anos. Que presente de Deus. Vai com Deus, Lenda. Meu amor pelo senhor será infinito. Um dia a gente vai se encontrar de novo…” finalizou.

Homenagem

Dessa forma, Péricles também homenageou Antenor “Gordinho do Surdo, Sr Antenor Marques Filho, muito obrigado por tudo. Sempre terei lembranças ótimas com você. Que o Bom Deus te receba em sua graça. O pagode no céu ganhou um som cheio de beleza”.

Thiago Martins então escreveu “Mestre dos mestres”. Buchecha lamentou “Não acredito mano. Meus sentimentos a todos os familiares e amigos”.

Jeniffer Nascimento disse “Que Deus o tenha em um lindo lugar Mestre“.

Último show

Em novembro de 2020, Thiaguinho então fez um show no Espaço das Américas, em São Paulo. Aliás, essa foi a última apresentação pública de Seu Antenor que comemorou o retorno aos palcos. “Voltamos Amém! Depois de nove meses, estamos ai! Obrigado Papai do Céu!! Muita Saúde pra nós todos” escreveu em uma rede social ao publicar uma foto de toda a banda.

Morre Antenor, o Gordinho do Surdo, aos 75 anos

Ao propósito, em dezembro, Antenor completou 75 anos e recebeu uma homenagem de Thiaguinho “Quando eu entrei no Exalta, ele já tocava na banda… Em 2003. Ele seguiu comigo na carreira solo… Eu tenho a honra de tocar há 17 anos com o MAIOR MÚSICO DA HISTÓRIA DO SAMBA…”

“Nessa quarentena, nós ficamos 8 meses sem se ver… E nosso reencontro, pra assistir o documentário da Tardezinha, foi assim.. E eu, que em todos os shows tento demonstrar o amor que sinto por ele, só consegui dizer OBRIGADO.” completou.

Assim, o cantor não economizou elogios ao colega “Hoje ele completa 75 anos! Um exemplo de vitória, comportamento, profissionalismo e TALENTO! Todas as viradas de surdo que você ver alguém fazendo, foram inspiradas NELE… Tem noção???? UMA LENDA VIVA!!! Seu Antenor… Nossa ligação não é dessa vida… Te amo muito! Tô aqui escrevendo emocionado esse texto… Porque o meu maior sonho presente musical da vida é tocar com o senhor. OBRIGADO!”

Thiaguinho então finalizou com um trecho da música “Samba que a gente exalta”, onde eternizou o nome de Gordinho “Fiz um samba com o @carica_sensacao e o @billysp que diz muito…“Samba de Deus, cuida de nós…Ouve o clamor da nossa voz Ao som do surdo do GORDINHO!”

Biografia

Carioca de Copacabana, mais precisamente da Ladeira dos Tabajaras, iniciou sua carreira por acaso, ao assistir a um ensaio do Conjunto Nosso Samba, no Bairro da Saúde, centro do Rio de Janeiro, no início da década 1970.

Inquieto, começou a tirar um som em um pequeno tantam, que era uma pequena barrica recoberta por uma câmara de ar. Assim, chamou a atenção do esperto Genaro, líder do grupo, e não demorou muito para receber o convite e passar a ser um dos integrantes do Nosso Samba, que na época comandava o samba nas noites de terça-feira, no programa de Salvador Batista, na Rádio Tupi.

Morre Antenor, o Gordinho do Surdo, aos 75 anos

Considerado o número 1 do surdo, Gordinho então se inspirou na classe de um dos grandes bateristas do samba, titular da banda de Chico Buarque: Wilson das Neves, seu grande ídolo.

Veja Também: Morre Ubirany, um dos líderes do Fundo de Quintal, aos 80 anos

A partir daí, passou a se destacar tocando seu surdo em quase todos os discos de samba, incluindo, entre muitos outros, nomes como os de Caetano Veloso, Elba Ramalho, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Gal Costa, Simone, Daniel e ainda Dione Warwick e Paul Simon. E, de vez em quando, grava até
cantando, participando do vocal, como já aconteceu em discos de Beth Carvalho, Simone, Ney Matogrosso, das Escolas de Samba e de Bezerra da Silva. E, se não conseguiu gravar com Elis Regina, colocou seu surdo no CD Samba Meu, de Maria Rita, filha dela.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente