Morre Quinho do Salgueiro, um dos maiores intérpretes do carnaval

Morre Quinho do Salgueiro, um dos maiores intérpretes do carnaval

Morreu, na noite desta quarta-feira (3), Melquisedeque Marins Marques, conhecido nacionalmente como Quinho do Salgueiro, aos 66 anos, um dos maiores intérpretes do Carnaval brasileiro, após batalha contra um câncer de próstata. A informação foi dada pelo Salgueiro, escola onde marcou época, pelas redes sociais.

“É com grande pesar que o Acadêmicos do Salgueiro comunica o falecimento de Melquisedeque Marins Marques, o eterno Quinho do Salgueiro, aos 66 anos.” Quinho morreu no final da noite desta quarta-feira (3), no Hospital Evandro Freire, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio. Segundo familiares, a causa da morte foi insuficiência respiratória. Desde 2022, Quinho vinha lutando contra um câncer de próstata. Ainda não há informações sobre velório e enterro.

Veja Também: Morre sertanejo João Carreiro, aos 41 anos

O presidente do Acadêmicos do Salgueiro, André Vaz, lamentou profundamente a perda deste grande sambista, apaixonado pela Academia do Samba. assim

‘Um grande amigo, um grande intérprete, marcou a história do Salgueiro e do Carnaval. Nós acompanhamos de perto a incansável luta do Quinho e sentimos muito essa perda. Ele merece todas as homenagens e fazemos questão de que o último adeus seja em nossa quadra, no lugar onde Quinho cantou, encantou e brilhou durante tantos anos’, finalizou. assim

Trajetória de Sucesso

Quinho começou no bloco Boi da Freguesia, sendo chamado para compor o carro de som de Aroldo Melodia na União da Ilha. E foi lá que teve sua estréia como cantor principal em 1988.

Mas foi no Salgueiro onde teve maior destaque, puxando o clássico “Peguei um Ita no Norte”, em 1993. Em 1994, voltou para a União da Ilha, numa negociação duvidada por todos, sendo tirado da então atual campeã do Grupo Especial carioca pelo então presidente da União da Ilha, Jorge Taufie Gazelle. assim

Logo no ano seguinte, retornou ao Salgueiro, onde ficou até 1999. Em 2000, foi pra São Paulo defender a Sociedade Rosas de Ouro. No ano seguinte, retornou ao seu estado para defender a Acadêmicos do Grande Rio, onde permaneceu por dois anos. assim

Em 2003, ano do cinquentenário do Salgueiro, voltou para agremiação, e em 2009 ganhou mais um título, o mais recente da Academia, cantando o enredo “Tambor”.

Em 2005 foi pra Porto Alegre defender a escola de samba Vila do IAPI. De 2008 a 2010, foi cantor da Unidos de Vila Maria ao lado de Baby e Fernandinho SP. Em 2011, desfilou na escola Tamandaré, de Guaratinguetá. Em 2012, além de ser cantor do Salgueiro, Quinho retornou à Vila Maria, integrando o carro de som comandado pelo também consagrado Nêgo.

Quinho chegou a inscrever chapa nas eleições presidenciais do Salgueiro após dar algumas declarações de insatisfação com a administração da época. Entretanto, sua candidatura acabou impugnada pela comissão eleitoral da escola. Posteriormente, com a reeleição de Regina Celi, acabou por deixar a agremiação.

Ainda desfilou e dividiu os microfones principais na Unidos do Peruche e Império da Tijuca, respectivamente com Toninho Penteado e Pixulé.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente