Morte de Eduardo Galvão é um alerta sobre a Covid

Morte de Eduardo Galvão é um alerta sobre a Covid
Eduardo Galvão no show de Gilberto Gil e Stevie Wonder em Copacabana. Fotos: Roberto Filho/AgNews

Nesta terça-feira (8), a morte de Eduardo Galvão deixou um recado claro para a população brasileira: é preciso voltar a ficar dentro de casa. Infelizmente, perdemos um nome relevante para a dramaturgia. Então, que essa morte sirva como um alerta.

Com os comércios cheios, as compras de Natal e preparativos para festas de ano novo a todo vapor, parece que o coronavírus foi embora. No entanto, os números de casos e mortes só aumentam no país. E a seriedade da doença não diminuiu só porque Papai Noel está a caminho.

É importante destacar que, inesperadamente, o ator partiu, logo depois de apresentar melhora. Apenas seus rins estavam um pouco comprometidos quando ele precisou ser intubado novamente. Horas depois, veio a notícia do óbito. Então, de fato, o coronavírus é um pequeno monstro imprevisível.

Aos 58 anos, sofreu com falhas nos rins e foi intubado às pressas. No entanto, anteriormente, sua filha afirmou que ele estava melhor e precisava de repouso.

“Meu pai precisou ser intubado, mas, no momento, está estável, com os rins funcionando bem, a pressão arterial estabilizada e os pulmões descansando para desinflamar como tem que ser. E está descansando, o que vai fortalecê-lo com certeza”, descreveu Mariana Galvão.

Fora do grupo de risco, a morte de Eduardo Galvão prova que não são apenas idosos que a doença vitimiza. Apesar de pessoas do grupo de risco representarem 77% das vítimas, elas ainda são vítimas – e não são as únicas. É preciso reforçar a segurança e manter-se o máximo possível dentro de casa.

Angélica lamenta morte de Eduardo Galvão, companheiro em 'Caça Talentos'
Angélica contracenou com Eduardo Galvão em Caça Talentos. Foto: Reprodução

Leia Mais

Aos 58 anos, morre Eduardo Galvão, vítima de Covid
Belutti, da dupla com Marcos, testa positivo para Covid
Recém-nascida, filha de Alok e Romana testa negativo para Covid

Diagnósticos

Nos últimos dias, acompanhamos casos graves de Covid como os das atrizes Nicette Bruno e Marieta Severo. As duas fazem parte do grupo de risco, então, é provável que a doença as afete com mais intensidade. Ainda assim, a esperança é de que elas se recuperem prontamente.

No entanto, dezenas de outros famosos já relataram as dificuldades que enfrentaram com a doença. Por exemplo, Felipe Titto, de 34 anos, ficou dois dias de cama e lembra que, quando soube, sentiu medo de morrer.

Anteriormente, Di Ferrero, ex-vocalista do NX Zero foi um dos primeiros no país a se contaminar. Ele se isolou para não infectar ninguém e passou pelo período de quarentena ‘hibernado’. No entanto, ele lembra que a respiração ficou bastante comprometida.

“Fiquei rouco, cansado, não conseguia subir escada. A Isabeli [esposa do cantor] também pegou e não teve sintomas. Eu fiquei ruim, não conseguia nem cantar”, afirmou o vocalista de 35 anos.

Sendo assim, se você prepara sua ceia de Natal e uma celebração de Ano Novo, pense nos cuidados que precisa ter antes de reunir amigos e familiares. Proteja quem estiver por perto e, principalmente, evite abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente