Os acertos do BBB20: De selfies a coolers

Critica: Os acertos do BBB20
Elenco, festas e dinâmicas. Quais foram os acertos do BBB20. Foto: Reprodução/Globoplay

Com uma audiência segura e público fiel desde o início do jogo, agora chegou a hora de analisar os acertos do BBB20. É consenso que tivemos um marco histórico dos realities no Brasil esse ano. Afinal, até para o Guinness Book o programa entrou.  Na lista abaixo, analisamos os acertos da temporada.

A consagração de Tiago Leifert e Ana Clara na equipe, bem como o deleite do trabalho de Boninho. Em tempo, vale destacar a nova sacada do programa, com famosos e anônimos. O público tem mais o que aplaudir do que vaiar na atração.

Famosos

Pela primeira vez, a atração trouxe a presença de pessoas que poderiam ser ex-BBBs, mas não eram. Surpreendentemente, personalidades da Internet, atletas e atores estiveram entre os convidados do programa. Comum ao redor do mundo (e uma aposta conhecida de outros realities), levar gente ‘famosa’ para dentro da casa era uma expectativa que vinha de outras temporadas. Deu certo.

O filtro ‘padrão Globo’ acabou rendendo críticas. ‘Quem eram os tal famosos que ninguém conhecia?’. Apesar disso, todo mundo lá tinha uma profissão relevante; ninguém era famoso por uma polêmica qualquer, por ficar pelado no meio da rua ou alguém que tenha feito sucesso trinta anos atrás e busca desesperadamente voltar à fama. Ator, atletas, cantoras e influencers: todo mundo faz algo relevante. Mesmo que não tivessem seus nomes nos Trending Topics do Twitter com frequência.

Selfies

A fim de suprir a necessidade de celular, dar um aparelho para os confinados foi uma aposta certeira. Com selfies, boomerangs e vídeos, o público se sentiu mais próximo do programa, com imagens produzidas pelos participantes, com um feed a lá Instagram.

Desse modo, foi uma abordagem diferente. Além disso, adicionou uma relevância à tal Central de Monitoramento. O portal com resumo de tudo o que os confinados faziam ficou esquecido em edições passadas, mas atraiu a atenção esse ano. Por isso, outra decisão acertada.

Vale destacar que produzir conteúdo valia estalecas para os participantes. Então, não era apenas uma diversão. Sendo assim,  rendia a eles benefícios no jogo.

Ana Clara

Nós já dissemos aqui como a evolução de Ana Clara nas duas últimas temporadas do BBB é notório. Entre os acertos e erros do BBB20, ela é um acerto claro. Depois que assumiu o chat com o eliminado, foi uma evolução e tanto. Recebeu os convidados com carinho, mas não deixou passar os excessos que cada um cometeu no jogo. Bem articulada, tirou grande proveito da atração.

Ana e o pai ficaram em terceiro lugar na edição de 2018. Ainda naquele ano, foi convidada para as seletivas do BBB19. Assim, viajou para alguns estados, onde fez reportagens para o portal da Globo. De lá pra cá, só sucesso.

Tiago Leifert

O único apresentador ao vivo da Globo por várias semanas. Tiago quase não teve folga, vibrou, chorou, dançou… foi humano em toda a atração. Abandonou completamente o jornalismo (que deixou há quatro anos) para se sentir integrante definitivo do entretenimento. Dessa vez, carimbou o visto permanente entre os showman da casa. Feliz aposta da Globo, que se vê numa situação difícil com bons apresentadores.

Em era de reality show, a profissão se viu engessada, parecendo âncoras de jornais em dados momentos. Tiago foi além e virou uma atração a parte, porque fez o público rir, chorar e se envolver.

Monstros

A ideia de fazer uma retrospectiva com grandes momentos do Big Brother também foi relevante. Dessa forma, com certeza os monstros seguiram à risca a proposta. Destaque para o coqueiro de Pyong e Daniel, a Solange de Flay e Thelma e a Tina, de Mari e Bianca.

A produção não se perdeu da justificativa para os castigos, fez um #TBT digno para o programa, tampouco pegou leve com os participantes. A respeito disso, vale lembrar o Globo de Marcela e Gizelly e a Guarda da Rainha, de Babu e Prior.

Globoplay

Mais uma vez, o Globoplay foi fundamental para o público fiel à atração. O Pay Per View dá trabalho para assinar e não vale a pena. Além de dar mais liberdade ao telespectador, ainda faz uma baita propaganda do serviço de streaming, o qual tenta se firmar com conteúdo exclusivo e séries famosas. Ainda assim, todo mundo sabe que o bom mesmo é poder rever o que a gente perdeu na programação.

O tal do cooler

Virou mantra da edição: ‘Cooler não se ganha, cooler se conquista’. Logo que começou o reality, os participantes descobriram que poderiam ganhar mimos da produção, se fizessem um esforço para tanto. Tudo começou depois de um paredão, lá no começo da temporada.

Mais recentemente, a lógica ficou clara, quando Ivy, Mari, Thelma, Manu e Rafa decidiram maquiar Babu. Em dez minutos, a brincadeira virou uma festa. Teve efeitos de luz, desfile com passarela piscando, comes e bebes, enfim, uma pequena farra. Quem faz o VT valer a pena, ganha o coração do Big Boss.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente