Parada LGBT de São Paulo tem shows online e luzes na Paulista

O evento foi adiado presencialmente mas seguiu de forma online
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Feixes de luz na Paulista - Foto Leo Franco/ Agnews
Feixes de luz na Paulista – Foto Leo Franco/ Agnews

Neste domingo, 14, aconteceria a 24ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. O evento foi adiado para novembro devido a pandemia do novo coronavírus mas a data não passou em branco. A Parada teve 8 horas de transmissões ao vivo de debates e shows além de um lindo show de luzes na tradicional Avenida Paulista.

A Avenida, que é palco do evento presencial, em vez de trios-elétricos e animadas aglomerações recebeu a projeção de um arco-íris, do Paraíso para a região da Consolação. É o chamado Global Rainbow, feito de feixes coloridos de laser, que pode ser visto a uma distância de até 60 quilômetros.

A obra é da artista porto-riquenha Yvette Mattern, que já exibiu o arco-íris em outras cidades do mundo, como Nova York, Cleveland, Toronto e Berlim.

Gloria Groove durante live - Foto Leo Franco/ Agnews
Gloria Groove durante live – Foto Leo Franco/ Agnews

O tema da edição deste ano é solidariedade, já que o objetivo é arrecadar doações para o projeto Rede Parada Pela Solidariedade, que apoia uma parcela da população LGBT em situação de vulnerabilidade.

A transmissão teve pocket shows das cantoras Daniela Mercury, Ellen Oléria, Liniker, Gloria Groove e Pepita. Além de debates a respeito da luta LGBT. Artistas como Pabllo Vittar, Katy Perry, Luisa Sonza e Danna Paola mandaram mensagens de apoio.

Pabllo Vittar falou “Por mais que os tempos pareçam obscuros, tudo isso vai passar”, disse a cantora.

Mais de 30 mil pessoas acompanharam a transmissão online durante a tarde, com shows, apresentações e debates sobre preconceito, diversidade e racismo.

Veja Também: Gloria Groove se apresenta na primeira parada virtual do Orgulho LGBTQIA+ de São Paulo

O evento foi aberto com o discurso de Claudia Garcia, presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT, entidade responsável pela organização.

“Estamos aqui com o mesmo recado, com o mesmo objetivo. Estamos ocupando os espaços de expressão. Por conta da pandemia é um espaço virtual, mas não deixa de ser um espaço que vai atingir milhões. O nosso tema esse ano é democracia. Vamos abrir essa parada fazendo milhões gritarem por democracia, gritarem por respeito, contra o racismo, contra o machismo, contra a LGBTfobia“, afirmou Claudia.

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, diagnosticado com Covid 19 recentemente, participou com um vídeo gravado. Na gravação ele agradece aos apoiadores da parada pelo movimento e “recebe” os turistas na cidade, “ainda que virtualmente”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente