Polícia encerra festa com 400 pessoas em casa de Elba Ramalho em Trancoso

Polícia encerra festa com 400 pessoas em casa de Elba Ramalho em Trancoso

A Polícia Militar encerrou uma festa clandestina que estava acontecendo, na noite desta terça-feira (29), na casa de praia da cantora Elba Ramalho, em Trancoso, no sul da Bahia. De acordo com informações preliminares passadas ao site Alô Alô Bahia, cerca de 400 pessoas participavam do evento. 

Mesmo sendo da cantora, a residência estava alugada para um grupo de São Paulo. Assim, em contato com o site Alô Alô Bahia, a Polícia Militar confirmou a informação.

Para a Quem, Elba contou que não compareceu no evento, já que sua propriedade está alugada – como faz todos os anos – para a temporada de festas. Assim, Elba está hospedada no ClubMed, a 10 km de sua casa, desde o último dia 26 e permanecerá lá até o próximo dia 6. A cantora diz que soube da aglomeração enquanto estava assistindo a uma missa.

“A casa foi alugada do dia 25 de dezembro ao dia 4 de janeiro, como todos os anos eu faço. Esse é um período em que eu alugo outra casa ou fico numa pousada porque eu venho mesmo para descansar. A casa está nas mãos de outras pessoas, que vão responder. A responsabilidade é delas, não é minha”, disse para a publicação.

Logo após, Elba gravou um vídeo explicando que não conhece as pessoas que estão na casa. Além disso, a cantora disse que não tem responsabilidade sobre os inquilinos e está indignada com o evento. (veja então o vídeo ao fim da matéria)

Proibição de festas

Ao propósito, a batida policial ocorreu horas após o Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) voltar a proibir festas em Porto Seguro, onde fica Trancoso, neste período de fim de ano. A decisão foi da desembargadora Cinthya Maria Pina Resende, que derrubou decisão contrária do juiz plantonista da Comarca de Porto Seguro que autorizou a realização de eventos festivos com até 200 pessoas. 

Veja Também: Elba Ramalho e Maurício Mattar batizam a neta no Rio de Janeiro

A decisão ocorreu após pedido da Procuradoria Geral do Estado (PGE), sob expressa solicitação do governador Rui Costa, que na véspera já havia avisado que o governo iria recorrer.

De acordo com a desembargadora, é o TJBA que deve conhecer e julgar demandas envolvendo os municípios do estado.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente