Rafa Kalimann e mais famosas se revoltam com sentença de ‘estupro culposo’ no caso Mariana Ferrer

Rafa Kalimann e mais famosos se revoltam com sentença de 'estupro culposo' no caso Mariana Ferrer
Rafa Kalimann e mais famosos se revoltam com sentença de ‘estupro culposo’ no caso Mariana Ferrer

Nesta terça-feira (3), a hashtag #justiçaporMarianaFerrer ganhou relevância mais uma vez nas redes sociais. Rafa Kalimann foi uma das famosas que se manifestou contra a sentença de ‘estupro culposo’ no caso da influencer Mariana Ferrer.

O empresário André de Camargo Aranha foi inocentado no caso onde é acusado de estuprar a jovem catarinense Mariana Ferrer, de 23 anos, durante uma festa em 2018.

Rafa falou “Eu tô tremendo aqui agora, não teve a intenção de estupro. Desculpa gente, mas isso existe? Porque essa é nova pra mim. Que uma sociedade entenda que não há hipótese de não ter intenção de estupro ou não ter intenção de agressão.”

A ex BBB questionou “Até quando a gente vai ter medo de sair na rua, de ter que pegar uma condução, de entrar em um carro de aplicativo, medo do assédio, medo dos olhares, medo de colocar uma roupa e sair e ser assediada? Não é justo, não é justo a gente ter medo de ir pra uma festa e curtir. Não é justo a gente ter medo de viver por ser mulher, seja de dia, seja de noite. E a gente tem que ser protegida, a gente não tem que ser humilhada como o que aconteceu agora.”

Por fim Rafa falou “Quantas e quantas outras mulheres assim como a Mariana terão medo, ou continuarão tendo medo, de expor uma agressão ou um estupro porque a sociedade não acredita nela. Quantas outras mulheres precisarão ser humilhadas, estupradas?”

Indignação

A influenciadora Géssica Kayane, a GK, também demonstrou toda a sua indignação “Se assistir esse vídeo sugou a minha energia, me deixou mal, imagina estar no lugar dessa menina. Imagina, além de tudo o que ela sofreu, ela ainda está sendo humilhada. Esse caso é uma derrota para todas nós mulheres. Provas, testemunhas, tudo…e ainda assim é a mulher que está inventando. Estupro culposo….de onde tiraram. Eu não estou conseguindo falar, isso é uma coisa tão absurda e tão inacreditável. Quem vai proteger a gente?”.

Camilla Camargo expôs os homens que participaram do julgamento “Tem horas que eu tenho vergonha da justiça brasileira. Porque você falar em um caso que o cara não tinha a intenção de estupro, sendo que a menina era virgem, teve comprovação de que teve penetração e que ela estava dopada. Falar que e o cara não teve a intenção? É demais. Eu vou colocar os prints pra gente expor esses homens que julgaram de forma vergonhosa esse caso.”

A atriz revelou que já passou por constrangimentos “Estupro culposo não existe. Estupro é estupro, simples assim. Eu tô mal com esse caso. Porque sempre a mulher é a culpada? Eu já passei por isso, pela situação de ter medo dentro de carro de aplicativo. De ter que ouvir baixaria e ficar com medo de que alguma coisa pudesse acontecer comigo. A gente anda e vive com medo. Porque se você coloca um shorts ou uma saia curta a culpa é sua. Oi? Que país é esse?”

Por fim, Camilla pediu justiça “Pra quem não sabe, estupro culposo é quando não tem culpa porque não tinha a intenção. O nome confunde. Se fez, existiu a intenção sim. Desculpa falar desse jeito, mas a gente tem que se revoltar sim. Esse cara que fez tem que pagar.”

Mais indignação

A ex BBB Marcela McGowan escreveu em sua conta no Twitter “Essa sentença de hoje é um soco no estômago de todas nós mulheres. Além da humilhação que fizeram a Mariana passar, isso abre mais uma brecha para invalidar nossas vozes! É misógino e violento. Só sinto dor, por ela, por mim e todas nós que já (sobre)vivemos.”

Sophia Abrahão expôs o advogado de defesa e o juiz do caso além de pedir para que as pessoas denunciem o caso para a OAB de Santa Catarina.

A cantora Lexa publicou uma imagem dizendo “Não existe estupro culposo”.

Bruna Santana também condenou a sentença “Estupro culposo é quando não há a intenção de condenar o estuprador”.

Munik Nunes lamentou a decisão da justiça “Que chacota essa sentença. Não existe estupro culposo”.

Entenda o caso

O estupro, de acordo com Mariana, ocorreu na noite de 15 de dezembro de 2018, na festa de abertura do verão Music Sunset do beach club Café de la Musique, em Jurerê Internacional, em Florianópolis, praia conhecida como point de ricos e famosos. 

Mariana, na ocasião com 21 anos, trabalhava como promotora do evento, responsável por divulgar a festa nas redes sociais. Um vídeo, que mostra Mariana grogue subindo uma escada com a ajuda de Aranha em direção a um camarim restrito da casa, vazou na internet.

Eles, então, sobem os degraus às 22h25. Seis minutos depois, ela desce, seguida de Aranha. A polícia, portanto, só solicitou o material de forma oficial ao beach club meses depois do início das investigações, e a boate alegou que o dispositivo de armazenamento exclui as imagens após quatro dias. Por isso, apesar de a boate ter 37 câmeras de segurança, não foi possível recuperar imagens do resto da noite. Mesmo assim, o vídeo vazado na internet foi incluído no processo.

Depoimento

Em seu depoimento à polícia, Mariana afirmou que teve um lapso de memória entre o momento em que uma amiga a puxou pelo braço e a levou para um dos camarotes do Café em que o empresário Aranha estava e a hora em que “desce uma escada escura”. Ela acredita ter sido dopada. A única bebida alcoólica anotada na comanda do bar em seu nome foi uma dose de gim. Mariana era virgem até então, o que foi constatado pelo exame pericial.

O The Intercept Brasil, então, conseguiu as imagens que geraram uma comoção geral na web. Segundo o promotor responsável pelo caso, não havia como o empresário saber, durante o ato sexual, que a jovem não estava em condições de consentir a relação, não existindo portanto “intenção” de estuprar. Por isso, o juiz aceitou a argumentação de que ele cometeu “estupro culposo”, um “crime” não previsto por lei. Como ninguém pode ser condenado por um crime que não existe, Aranha foi absolvido.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente