Rita Cadillac explica pedido do auxílio emergencial: ‘Não tenho de onde tirar!’

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Rita Cadillac explica pedido do auxílio emergencial
Rita Cadillac entrega pizzas em Pizzaria de São Paulo. Foto: Leo Franco/AgNews

Na noite desta sexta-feira (26), Rita Cadillac entregou pizzas no balcão da Pizzaria Tucuna. O lugar, em Pirituba, zona norte de São Paulo, é um dos favoritos dela na cidade. Em entrevista ao Famosando, além de falar do local, Rita Cadillac explica pedido de auxílio emergencial.

Inicialmente, ela justificou a escolha do local para a visita: “O primeiro motivo de eu estar aqui é matar a saudade. Eu sempre venho aqui. Agora, resolvi vir e vim!”.

Em seguida, analisou a experiência de ter contato com os clientes da pizzaria, sempre de máscara. Por causa disso, a reação do público ao encontrá-la atrás do balcão foi de alegria. Por isso, ela explica.

“É um momento muito pesado. Se você tem alguém que esboça um sorriso, para mim, isso é muito bom!”, reflete.

Auxílio emergencial

Posteriormente, Rita Cadillac explica pedido do auxílio emergencial do governo. Ela deu entrada para receber os R$600 do governo e foi duramente criticada por isso. Finalmente, ela explica o que a motivou a dar entrada no benefício.

“Como eu digo, a Rita Cadillac está dormindo. Ela virou uma bela adormecida e está dormindo desde março. Quando ela vai acordar? Quando? Todo mundo está voltando a trabalhar, mas eu não sei…”, lembra a cantora. Afinal, shows, teatros e cinemas ainda não tem data para reabrir, mesmo nos melhores cenários.

“(Ninguém avisou) ‘vai parar em março’. O que você fazia? Ralava janeiro, fevereiro, começo de março, e ia juntando moedinha por moedinha. Começou com uma coisa que ia durar um mês, dois meses… Nós sabemos que esse ano, o artista não vai voltar. A não ser os artistas que são grandes, que têm ballet, que possam fazer num drive-in”, descreve a artista.

Em seguida, Rica destaca que está em busca de trabalhos para gerar renda. Afinal, a agenda de shows foi toda interrompida.

“Eu estou aberta para tudo o que é trabalho. Preciso trabalhar. Eu quero fazer postezinho… está vendendo, de boa. Porque não tem onde eu cantar, tem? Posso fazer show ali? Não posso”. diz.

A cantora continua: “Então, tenho que vender alguma coisa minha. A minha (marca) ainda é a Rita Cadillac. Eu posso vender. Pedi o dinheiro exatamente pra poder me ajudar, porque eu não tenho de onde tirar. Eu não sou casada, não sou rica, não tenho patrocínio. Dá onde vem (minha renda)? Dos meus shows. Cadê eles?”, diz.

Reações

Ainda durante a entrevista com o Famosando, Rita comenta as frases de ódio que recebeu desde que a notícia de que deu entrada no auxílio emergencial se tornou pública.

“Eu não tenho o que falar sobre isso. Cada um tem o direito de falar o que quiser, mas tem que pensar antes de falar”, relatou.

Finalmente, a cantora dá uma lição de moral que serve para muitos internautas a respeito de opiniões agressivas.

“Em primeiro lugar, você está magoando uma pessoa sendo tão agressivo, sem saber o porquê. Sim, me magoou muito. Se eu fosse uma pessoa que tivesse poder aquisitivo, eu não iria pedir nunca, jamais. E mesmo que eu pedisse, não iria ser aceito. Quem pediu foi a cidadã Rita de Cássia, não foi a Rita Cadillac”, finaliza.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente