Rock in Rio: Elza Soares dá selinho no palco e dispara "Machistas não passarão"

30 Sep 2019

A cantora recebeu convidados no Palco Sunset

 

Elza Soares fez uma grande apresentação neste domingo, 29, no Palco Sunset do Rock in Rio. A cantora de 82 anos permaneceu a maior parte do show sentada mas não poupou críticas ao governo e desabafos sobre a violência contra a mulher. 

 

"Mulheres, gemer só de prazer. A realidade agora é outra. Não é não... machistas não passarão... denunciem. Chega de sofrer calada. Ligue 180", disse a cantora durante o show.

 

“A Carne” trouxe a primeira participação especial do show - a canção foi defendida por Elza em parceria com Jéssica Ellen. Logo em seguida, foi a vez de Mike cantar em “Não tá mais de graça”. Na sequencia, Kell Smith inicia o hino feminista “Maria da Vila Matilde”. Elza deu um selinho em Kell no fim da apresentação.

Fotos Agnews

 

Clássico do repertório da cantora, “Se acaso você chegasse” foi apresentada em companhia de Assucena e Raquel Virgínia, da banda As Bahias e A Cozinha Mineira.

 

A parte final da apresentação trouxe uma carga política bem mais intensa. Seguiram-se “A mulher do fim do mundo”, “Pequena memória de um país sem memória”, “País dos sonhos” e “Blá-blá-blá”, com participação do rapper Edgar.

 

O fim chegou com “Volta por cima”, clássico de Paulo Vanzolini tornado famoso por Beth Carvalho, foi cantado por Elza e todos os convidados.

 

Durante sua apresentação, Elza menciou a menina Ágatha Felix, que morreu com um tiro de fuzil disparado pela Polícia Militar, o músico Evaldo Rosa dos Santos, que morreu com mais 80 tiros disparados pelo Exército, e a vereadora Marielle Franco, assassinada junto com o motorista Anderson Gomes. 

 

"Chega! Chega de perseguir o negros, chega de perseguir os pobres. Mulher preta, coragem, para frente", disse a cantora. 

 

“Esse povo sofrido, que sonha com um lugar melhor para viver. Sonha, mas é preciso acordar, minha gente! Lutar! Gritar, ir para as ruas, aprender a votar! Nós não sabemos. Vamos para as ruas, vamos buscar os nossos direitos. Esse Rio de Janeiro acabado, esse Rio de Janeiro completamente distorcido. Cadê o povo? Cadê a voz da gente? Cadê as mulheres? Somos faladeiras, vamos falar até não aguentar mais”, declarou Elza Soares no palco.

 

Após o discurso, o público gritou contra o presidente Jair Bolsonaro: “Ei Bolsonaro, vai tomar no c*”.

 

No meio do povo, o ator Alexandre Nero curtiu toda a apresentação e dançou muito.

 Fotos Agnews

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Please reload

  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social
  • Facebook Basic Black
Siga "famosando"
Please reload

O site Famosando é um parceiro do IG Gente 
contato@famosando.com.br