Pelo menos um quarto dos cariocas não vai mais assistir ao futebol

um quarto dos cariocas não vai mais assistir ao futebol
Globo quebra contrato com FERJ e deixa transmissão do Campeonato Carioca. Foto: Reprodução/Globo

Desde que começou a temporada 2020 começou, polêmicas rondam o esporte carioca. Agora, a Globo cancelou contratos com a Federação de Futebol do Rio de Janeiro. Dessa forma, pelo menos um quarto dos cariocas não vai mais assistir ao futebol. Afinal, a FERJ não tem contrato com outra emissora de TV para levar as partidas até os torcedores.

Por isso, considerando que 25% dos brasileiros não tem acesso à internet (e esse número aumenta entre a população de baixa renda), boa parte da população fluminense não vai mais assistir ao futebol. Enquanto isso, a FlaTV criou um programa para transmitir suas partidas através de seus portais nas redes. Times como o Botafogo e o Fluminense discordaram da decisão do rubro-negro; apesar disso, a decisão de reincidir o contrato partiu da emissora.

Através de um comunicado emitido nesta quinta-feira (2), a Globo confirmou que deixaria de transmitir os jogos. Apesar disso, continuaria a pagar os contratos da emissora.

“A emissora rescindiu o contrato que mantinha com a Federação de Futebol do Rio de Janeiro e com os Clubes, mas manterá os pagamentos desta temporada. No entendimento da Globo, o contrato foi violado ontem, quando a FlaTV exibiu ao vivo a partida entre Flamengo e Boavista. De acordo com o contrato, a Globo tinha exclusividade na transmissão dos jogos do Campeonato Carioca. A Federação e onze Clubes assinaram o compromisso. A exceção foi o Flamengo.”, anunciou através de comunicado.

Sendo assim, agora a Internet é o único meio de transmissão das partidas da Taça Rio. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 25% dos brasileiros ainda não tem qualquer tipo de acesso à rede de computadores. Ou seja, um quarto dos cariocas não poderão mais acompanhar os jogos de futebol. Pelo menos, enquanto não puderem ir aos estádios assistir presencialmente às partidas.

Entenda o caso

Em meados de junho, o Presidente da República assinou uma Medida Provisória que mudava o regulamento que previa a transmissão dos jogos de futebol. Através dela, caberia ao time mandante do jogo os direitos de exibição da partida. Neste caso, Flamengo e Vasco apoiaram a apoiaram a decisão. Coincidentemente, os times do presidente e de um de seus filhos.

Apesar da validade imediata, a medida só será validada após aprovação no Congresso Nacional (por Deputados e Senadores), o que ainda não ocorreu. De qualquer forma, até o final do ano, a ação tem validade. Afinal, uma MP como essa pode durar no máximo 180 dias sem manifestação do Poder Legislativo.

Como o contrato entre a FERJ, a Globo e os clubes cariocas foi celebrado antes da divulgação de tal MP no Diário Oficial da União, a emissora entendeu que houve quebra de cláusula contratual quando o Flamengo transmitiu a partida desta quarta-feira (1) contra o Boavista. De um lado, a emissora defende a assinatura de exclusividade de transmissão, de outro, o clube usa o decreto do presidente para transmitir a partida pela FlaTV.

Finalmente, a Globo reafirma seu apoio ao esporte. Contudo, destaca a falta de segurança jurídica para patrocinadores e empresários causada pela MP do governo.

“A Globo é parceira e incentivadora do futebol brasileiro há muitas décadas e entende a importância do esporte para Clubes, jogadores, marcas e torcedores. Exatamente por isso, apesar da decisão de rescindir o contrato imediatamente, a Globo está disposta a fazer os pagamentos restantes desta temporada, em nome da sua parceria histórica com o futebol e da sua boa relação com as equipes. Mas acredita que o futebol só será capaz de vencer as inúmeras dificuldades com planejamento e segurança jurídica para aqueles que investem altas quantias nesse negócio tão importante para o Brasil e para os brasileiros.”, encerra.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente