Wesley Safadão depõe à polícia sobre vacinação irregular

Wesley Safadão depõe à polícia sobre vacinação irregular
Wesley Safadão depõe então à polícia sobre vacinação irregular

O cantor Wesley Safadão foi ouvido na quarta-feira (15), pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Combate à Corrupção (Decor). O órgão investiga irregularidades na vacinação do cantor contra a Covid-19 e a suposta vacinação irregular de Thyane Dantas e da produtora do artista, Sabrina Tavares.

Em nota, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) afirma então que duas pessoas deram seus depoimentos referente ao inquérito policial que apura irregularidades na vacinação do cantor, da mulher e de uma assessora do músico. Ainda conforme a polícia, o inquérito policial está em fase de conclusão. “Mais detalhes serão repassados em momento oportuno para não comprometer os trabalhos policiais“, disse a polícia.

O inquérito que investiga a vacinação de Safadão, Thyane e Sabrina foi aberto pela polícia no dia 15 de julho, uma semana após os três receberem o imunizante em um dos pontos de vacinação da capital.

Irregularidades

Thyane Dantas furou a fila da vacina contra a Covid-19 em um shopping de Fortaleza mesmo sem estar na faixa etária determinada como público-alvo pela Prefeitura. Ela tinha 30 anos de idade, e o recorte de aplicação era para pessoas com 32 anos ou mais. Ela também não estava agendada para receber o imunizante, prática utilizada no município para regular a vacinação. assim. então. aliás. entretanto.

Já Wesley Safadão e a produtora Sabrina Tavares estavam agendados para vacinação no dia 8 de julho no Centro de Eventos. Mas foram a outro posto de vacinação, o mesmo em que Thyane foi vacinada. O Ministério Público apura então se eles se dirigiram a outro local para escolher o imunizante. Casos desse tipo ficaram popularmente conhecidos como de “sommeliers de vacina”, prática questionada por especialistas.

A sindicância que apura a vacinação irregular da influenciadora digital Thyane, mulher do cantor, foi concluída pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), que encontrou irregularidades nas ações de três colaboradores do poder municipal, uma servidora pública e dois funcionários terceirizados.

Segundo a pasta, as apurações internas apontam possível crime de corrupção passiva por parte de três colaboradores da Prefeitura de Fortaleza. A secretária municipal da Saúde, Ana Estela Leite, assinou a decisão e publicou no Diário Oficial do Município de 6 de setembro.

Na época, Wesley e Thyane negaram qualquer irregularidade afirmando que ela havia recebido vacinas da “xepa”, como ficou conhecida a sobra de imunizantes do dia. A Prefeitura de Fortaleza negou a versão, dizendo que não existia aplicação de doses de “xepa” no horário em que eles receberam o imunizante. assim. então. aliás. entretanto.

Veja também

O site Famosando é um parceiro do IG Gente